[Opinião] 10 Coisas que eu aprendi lançando meu primeiro Álbum

Haney na Paulista - 11/03


No último dia 16 de Maio, meu primeiro álbum "Scarlett" completou 2 anos de lançamento, e o facebook me lembrou de uma postagem que fiz alguns dias depois, com "10 coisas que eu aprendi depois de lançar meu primeiro álbum". Claro que de lá pra cá, aprendi muuuuitas outras coisas, principalmente no campo de marketing e music business, mas acrescentei algumas coisas que julgava importante ao post original pra compartilhar com vocês por aqui.

Pra contextualizar, comecei a trabalhar no meu primeiro trabalho de estúdio em meados de 2017, um pouco depois de começar a me aventurar por programas de edição de áudio, como Audacity e meu eterno amor, Reaper. De vários testes, saíram algumas músicas, que a princípio seriam só eletrônicas mesmo. Lancei meu canal no Soundcloud como "SILENT BRIDE", um projeto inicialmente instrumental. Mais tarde, conheci alguns músicos incríveis, e decidi que colocaria o trio "baixo, guitarra e bateria" em algumas. Comecei por "Trigger", e amei o resultado (no single, também tem a primeira versão, que é toda feita no computador e só gravei o vocal, tudo em casa), então decidi que as outras também seriam nesse formato mais darkwave/synthrock.

É importante comentar que eu era uma jovem de 22 anos, cheia de sonhos e aspirações, e com aquele sentimento explosivo que eu tinha nascido pra arte. Logo, achava que o universo estava sedento pela minha música, que bastava EU dar o primeiro passo pros planetas se alinharem. Eu era o próprio Neo (Matrix) do mercado musical brasileiro, e as pessoas precisavam da minha visão e genialidade.

Não tenho vergonha ou medo de reconhecer meu talento e esforço. Cara, como eu estudei pra fazer aqueles arranjos, pra ter um bom preparo vocal, escolhi a dedo os timbres, fiz o melhor que eu pude dentro da minha realidade e orçamento limitado.

Aí veio a semana de lançamento, e meu castelinho de areia despencou! Uma semana antes fui até a Rockambole (uma gravadora e produtora de São Paulo), e foi lá que tive um pequeno choque de realidade, que somada à toda a experiência anterior e posterior, formou meu pensamento e alinhou minha perspectiva como artista ao mundo real.


1. O melhor momento pra começar é AGORA

Se eu fosse esperar as melhores condições (financeiras ou emocionais) pra fazer isso, eu nunca ia fazer. Quase sempre, essa coisa de esperar qualquer coisa que seja "melhorar", é algum tipo de defesa ou medo da frustração. Independente de onde você esteja, dê o primeiro passo. No caminho você vai sentindo o terreno e administrando as prioridades.


2. Ouça artistas mais experientes

É preciso estar aberto ao aprendizado, e ter humildade pra ouvir pessoas mais experientes. É importante ter a própria experiência e confiar na intuição? Muito! Mas é bom considerar estar errado também. Você provavelmente não é e não vai ser um gênio. E isso é LIBERTADOR! Aprenda a ouvir as pessoas que já passaram pelo caminho que você vai passar.


3. As pessoas não te devem nada!

Ninguém vai fazer nada por você só porque você é uma pessoa legal e talentosa. No mundo há milhares de pessoas mais legais e mais talentosas que você, e veja, elas também estão tentando.

Não entra nesse papo de "ah, mas as pessoas não apoiam a cena". Não mesmo, e nem é obrigação delas. É sua obrigação entender com quem você quer se comunicar e encontrar os melhores meios de fazer isso. A gente vai errar, pra caramba, mas faz parte.

O sucesso depende de uma série de fatores que fogem do nosso controle. A maioria das pessoas vence por insistência mesmo, algumas poucas tiveram sucesso imediato, e todas tiveram que contar com uma coisa chamada SORTE. Mas sorte só chega para os que tiveram a coragem de tentar.


4. Saiba muito bem onde você quer chegar

Arte é a coisa mais linda que existe, e ela anda de mãos dadas com o Amor, mas ser Artista é uma profissão, envolve oferta, demanda, e precisa ser viabilizado para ser consumido e gerar renda. Se você quer viver disso, você precisa encarar as coisas dessa forma. Inclusive, saber qual o padrão de vida que você pretende manter, porque isso precisa estar alinhado com o seu objetivo. Busque conhecer como funciona esse mercado, e quais os passos que você precisa dar, quem precisa conhecer, etc.

Desromantizar o ofício, vai te poupar de muitas frustrações e pode te colocar na frente de muita gente. Tudo bem se você só quer apesar a arte como hobby ou forma de se expressar, só tenha isso bem claro na sua cabeça. Um coelho uma vez disse que, pra quem não sabe onde quer chegar, qualquer caminho serve. É muito mais fácil se sentir perdido quando a gente não tem isso claro.


5. Descubra quem você é como Artista, e busque dominar sua linguagem

Tente entender a linguagem (timbres, nuances, intenções) do som que você REALMENTE faz. No trajeto, conheci vários artistas que juravam que faziam um som muito pesado e agressivo, mas eram muito mais pop do que pensavam, ou que queriam tocar pra casas de show lotadas fazendo um estilo de som que tem pouquíssimo público. Isso é problemático porque pode te afastar do seu caminho e fazer você ter a sensação que não está saindo do lugar. Digo por experiência própria. Todas as minhas amigas e pessoas próximas tinham banda de metal, e então que quis encher meu som de guitarra oitavada pra ser mais palatável pra esse público, mas obviamente não rolou.

Mas não se preocupe, as vezes a falta de adequação é que vai te fazer único. Quando a gente faz as coisas muito bem e de coração, não vai faltar quem queira tocar com a gente. Conforme a gente vai fazendo um bom trabalho, vamos colhendo os frutos da autenticidade. O mundo já está cheio de mais do mesmo.


6. Busque parcerias

Mantenha por perto pessoas que estejam no mesmo estágio que você, quem já está passos a frente e quem está passos atrás. Troquem muita ideia e experiências, pode ser uma das coisas mais enriquecedoras pra todas as partes, porque você vai poder receber e dar muita coisa boa. Essas trocas são excepcionais, inclusive, se forem portas pra colaborações. É fundamental fazer amigos, mesmo que as relações iniciais sejam de trabalho. Ter parceria com a loja de roupa do seu amigo, com uma artista visual que tem um estilo que você gosta, fotógrafos, pessoal de audiovisual, etc. Tudo isso também colabora pra dar uma assinatura única ao seu trabalho, e você vai criando uma comunidade.


7. Faça o seu melhor, mas seja realista

Eu sei que artista tem uma série de complexos e as vezes queremos que tudo esteja perfeito. Dá aquela impressão que, se as pessoas não nos validarem, prova que somos uma farsa, certo?

Ver que nem nossos amigos estão compartilhando nossa música ou nosso vídeo, é muito frustrante, porque só a gente sabe o quanto trabalho - muito duro, e de graça - pra conseguir fazer as coisas, e parece que as pessoas não estão nem aí.

Porém, a gente tem que entender que no estágio de estamos, com o orçamento que temos, talvez não dê pra ser top viral no Spotify no primeiro single, nem no segundo, e tudo bem. Como eu falei lá em cima, a maioria das pessoas vai aprendendo no caminho e vence por insistência. O importante é a gente continuar produzindo arte e produzindo conteúdo. Alguém vai ser alcançado, e esse alguém vai estar esperando ansiosamente para o seu próximo lançamento. Um passo de cada vez.


Primeiro show da HANEY no Teatro Adamastor em Guarulhos, abertura do show do Esteban Tavares, por Rockambole - 24/02/18


8. Seja mais gentil consigo

Continuando o tópico acima, não ter milhares de likes e compartilhamentos não quer dizer que você é um pedaço de bosta, e nem que é um gênio incompreendido! Entenda que sucesso comercial é uma coisa, relevância artística é outra, e isso só quer dizer alguma coisa dependendo do que você pretende com o seu trabalho. É melhor dar passos curtos na direção certa, do que passos largos sem propósito. Vai por mim, a gente vai pegando o jeito.


9. Não tenha medo do "Flop" 

As vezes você vai ser ignorado, algumas pessoas vão cagar pro que você tá fazendo, por mais esforço e amor que você empenhe. Mesmo que você faça tudo certo. E tudo bem.

É importante acreditar no seu trabalho e na sua visão do projeto, mesmo que seja algo muito fora da curva. Na pior das hipóteses, você não vai ter o resultado esperado, e vai ter uma carga enorme de aprendizado pra empenhar no próximo.

Algumas coisas vão dar mais certo que outras. Seja paciente e continue a nadar. Temos que ter coragem e maturidade pra transformar o fracasso em inspiração. Muitos artistas "chegam lá" depois de uma (ou várias) experiência de grande fracasso.


10. Valorize quem está do seu lado HOJE

Tanto os fãs quanto outros artistas parceiros. Abrace e seja grato pelas pessoas que, mesmo sem o status e o glamour de um artista grande, te permitiram fazer parte de algum momento da vida delas. Essa troca e essa conexão não tem preço! Inclusive, esqueça essa história de tribos e gêneros musicais. Seja fiel à sua arte, e deixe isso transbordar. Você vai alcançar alguém! Só seja muito, muito grato por isso. O maior presente que podemos receber não são likes ou retorno financeiro, mas é ser ouvido e conseguir estabelecer essa conexão. São essas pessoas que vão te ajudar a pavimentar o caminho. Não se esqueça delas.



Texto postado e editado por Nina Furtado aka Nina da Haney em suas redes socias. Todos os Direitos Reservados.

************************************************************************


Quer participar da coluna [Opinião]? Só mandar seu texto para rockdeboneca@gmail.com e entraremos em contato.


Conta pra gente sua experiência!

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Eu conheço esta menina, e sei, mesmo que um pouco distante, seu esforço e a dedicação... sua voz verdadeiramente transmite sua alma... infelizmente vivemos em uma sociedade que não valorizam os verdadeiros artistas... desejo tudo de melhor pra Haney e sua banda (gente finissima)

    ResponderExcluir